Harry Potter e as Relíquias da Morte

Por Talita Helen

Harry Potter e as Relíquias da Morte
-Harry está aguardando na rua dos Alfeneiros. A Ordem da Fênix chegará em breve para transferí-lo, em segurança, do endereço de sua família trouxa, sem que Voldemort e seus seguidores saibam. A partir daí, o que Harry deverá fazer? Como será capaz de cumprir a missão, aparentemente impossível, que Dumbledore lhe deixou?
Neste volume final da série HARRY POTTER, J.K. Rowling revela de modo espetacular as respostas que os leitores aguardam, ansiosos. A narrativa fascinante e esmeradamente tecida, que se precipita, desvia e gira em um ritmo vertiginoso, comprova que a autora é uma exíminia contadora de histórias, cujos livros serão sempre lidos, relidos e lidos mais uma vez.

Desde já aviso, o post pode conter spoilers...
Há três anos atrás eu comprei o meu exemplar de As Relíquias da Morte, foi emocionante e um tremendo choque, a minha saga preferida estava acabando. Logo nos primeiros capítulos eu comecei a chorar, ‘ta ai’ algo bom para definir minha leitura do último livro, choro, chorei do início ao fim, não só por que era o último livro, mas por que J.K Rowling me fez chorar em muitas partes mesmo.

Voldemort está de volta, e pior que nunca, ele está aterrorizando o mundo bruxo -trouxa também- há Comensais da morte lecionando em Hogwarts, Harry e seus amigos abandonam os estudam e começam a vagar pelo mundo procurando as Horcruxes, nesse livro Harry mais uma vez terá que contar com apenas  duas pessoas Rony e Hermione, mas no final de tudo terá que enfrentar seu destino sozinho.

O livro tem muita ação, aventura, e é claro magia, podemos ficar hooooras o lendo e não perceber, ficamos presos ao enredo, cada página virada nos trás uma coisa nova, muito segredos são revelados, a magia parece transpassar as folhas do livro, a história parece pular em frente aos nossos olhos...Ok! eu sei pode parecer exagero, mas foram quase dez anos acompanhando a saga, Harry Potter me acompanhou durante uma época muito legal, eu tinha uns onze anos quando comecei a me interessar pela saga, a mesma idade de Harry e seus amigos, e meio que me sentia como parte de tudo. Hoje com dezenove anos posso dizer que Harry Potter é o meu herói preferido.

Eu estava me recusando a ler a última parte do livro, não podia terminar, simplesmente não podia. Chorei por uns dez minutos depois que terminei de ler o livro, sério, dez minutos, e até hoje quando o leio de novo, eu choro e me emociono de novo.

Acho que não importa a minha ou a sua idade, Harry Potter com certeza deixou e vai deixar saudades, ainda temos o último filme antes que tudo realmente acabe, e de uma coisa eu tenho certeza, eu incentivarei meus filhos/netos/bisnetos O.O a lerem HP, por que tenho certeza que como foi importante para mim, poderá ser para eles também.

Título: Harry Potter e as Relíquias da Morte
Título Original: Harry Potter and the Deathly Hallows
Autora: J.K Rowling
Tradutora: Lia Wyle
Editora: Rocco


6 comentários:

Dani disse...

Harry Potter é vida #fato!
Comecei a ler com oito anos, praticamente cresci junto do Harry. (E sofri uma tremenda desilusão quando não recebi minha carta de Hogwarts, CRAP!)

Michelle Freire disse...

sofri sérios danos depois desse livro, ainda bem que tem o filme ainda.

Marília disse...

aahh Harryyy *---------* vamos assistir juntas again?? *-* amei o post miga

vanessa disse...

Relíquias da Morte <3 /chora UAHSUAS ah, não posso lembrar desse livro sem lembrar de todas as mortes. me deixa em choque '-' UAHSUAS

Coolture Team disse...

Eu o li faz um bom tempo, e quando chegou no final quase entrei em pânico. Foi algo do tipo: "É isso?! Acabou?!". E agora com o lançamento da primeira parte do último filme, sinto que uma fase da minha vida começa a ir embora. Meio dramático, não?

Danielle John
@harle_

Maíra disse...

Nossa concordo plena-mente , alem de ter chorado muito com o final, demorou umas 2 semanas para cair a ficha que realmente tudo tinha acabado e ai? chorei mais e mais . Ai fica meu recado:
obrigada joanne!
sim, eu ficarei com o Harry até o fim. Áte mesmo quando nada existir mais

 
Design geral de: Rachel Lima | C�digos de Giovana Joris
|