Mais um blábláblá














Mais um blábláblá sobre emprestar livros


O que a maior parte dos leitores ávidos menos gosta? Um, dois, três, EMPRESTAR LIVROS. Palmas para quem acertou, o que não foi difícil.

E também pudera. Nossos lindinhos, caros, disputados, ansiosamente esperados com suas capas maravilhosas e páginas que contém preciosidades em formas de parágrafos, são um xodó. E, para quem costuma emprestar ou já emprestou, vê-lo voltar para casa dobrado, amassado e sujo é simplesmente um pesadelo.

Primeiro pensamento quando alguém devolve o livro neste estado? 'NÃAAAAAAAAAAO'. A maioria só sorri com classe, tentando manter a calma e conter a hiperventilação, pega o livro de volta e vai pensando nas maneiras de torturar esta pessoa.

Alguns não podemos culpar. Por exemplo? Uma vez emprestei um livro para uma amiga, e ele ficou no carro com a janela aberta enquanto este passava pelo lava-rápido. Ou seja? Páginas e capa tortas e marcadas, parecia um livro de anos. E olha que custou imensos sessenta reais. Esta amiga me pediu desculpas e falou: vou comprar outro. Ou este ou qualquer um, é só pedir.

Eu não pedi. Achei chato. Não tenho essa cara toda. Afinal, foi um acidente e ainda dava para ler o livro. Hoje eu francamente não ligo, faz par com os outros dois livros da série que estão despedaçados.

E podia acontecer comigo também. (apesar de depois disto eu tratei de nunca deixar livros no carro, haha).

E Harry Potter, então? Quem tem as versões antigas e caríssimas sabe muito bem como eles costumam voltar para casa. Primeiro, todo mundo quer ler. Segundo é que eles mundam de título. Os brilhinhos apagam, as páginas sujam e soltam... eu particularmente tenho um livro verde na minha estante que chama 'E o Enigma do Príncipe'.

Afirmo certamente que tenho mais de cem livros. Seria difícil falar dos sujos, é mais fácil falar dos que não estão sujos, fato.

Muitos desistiram daqueles que nos cercam e decidiram: eu não vou aprestar mais para ninguém. E eu já tentei fazer isto, mas o ímpeto de emprestar livros é simplesmente mais forte do que eu.

Quando eu termino um livro bom, posso escutá-lo gritando: "Estante nãaaaaaaao, eu preciso ser compartilhado! Eu sou muito bom para ser escondido!!". E eu digo: "Ok, ok, eu tenho a pessoa perfeita para você." E geralmente tenho mesmo. Gosto de emprestar livros, gosto de convencer pessoas que não leem com histórias incríveis e simplesmente amo quando alguém me pede uma opinião de livro ou solta 'empresta um livro que você acha que vou gostar'? É simplesmente mágico encaixar gostos aos meus livrecos.

E no fim, eles voltam para casa. O estado de sujeira, de mão em mão, é imperceptível. Depois de dez pessoas é que dá para comparar, mentalmente, o estado inicial com o atual. E eu parei de ligar.

Tento conservar? Tento sim. Todo mundo que me pede um livro ganha um livro mais um plástico de papel para carregá-lo (e um discurso: "Cuide deste livro como se fosse sua vida, beijos"). Tenho cuidado com os dos outros, espero cuidado também. Right?

Divaguei, divaguei, e o ponto é: empreste livros. Tem quem roube, mapeie estas pessoas e fuja delas! Tem quem atinja um nível insuportável de desleixo a ponto de estragar os livros, saia correndo!!!

Mas tem quem toma o maior cuidado e devolve rápido. Por que não? Eu pego emprestado também, e trato os livros dos outros melhor do que trato os meus.

Vou atentar para um fato: Tome cuidado se você vai formar este ano ou sair da escola: Não deixe seus livros com as pessoas! Agora me deem licença que a coisa aqui tem que publicar uma lista de 25 livros no facebook que ela espera ansiosamente pela devolução.

Dica? Anote todos os livros que empresta!


Rachel Lima é colunista do EtCoetra e costuma falar muito abobrinha. Leitora voraz, blogueira apaixonada, capricorniana atoa, mineira teimosa. Falo uai e costumo dispensar programas diversos para ficar lendo ao lado de uma caneca de chá. Facebook | Blog | Skoob | Twitter | mais?

3 comentários:

Aimée disse...

Nossa, sempre que eu empresto um livro tem todo um discurso sobre como não devem amassar, deixar cair no chão, dobrar páginas, etc.
KKKKKKKKKKKKKKKK e mesmo assim, só empresto pra quem confio.

Juan disse...

Emprestar livro é algo que não gosto de fazer e sempre deixo isso bem claro. Mas em alguns casos abro exceção, mas sempre passo um "sermão" de como tratar o livro.

http://sempre-lendo.blogspot.com/

Abraços
Juan

Fernanda Rodrigues (Fê_Notável) disse...

Entendo COMPLETAMENTE! o que vc diz!
ODEIO emprestar livros. ODEIO!
E quando empresto, as pessoas acabam me chamando de "chata, enjoada e blá blá blá", só porque entrego pra pessoa no saquinho (a gente nunca sabe o que pode acontecer no transporte!).

Enfim, é tenso.
To numa fase em que prefiro dizer não.

Um beijo :*

http://nossocdl.blogspot.com
http://algumasobservacoes.blogspot.com
http://escritoshumanos.blogspot.com

 
Design geral de: Rachel Lima | C�digos de Giovana Joris
|