Resenha - A Filha do Pastor das Árvores, Gillian Summers

Por Talita Helen


Resenha

A Filha do Pastor das Árvores
(O Povo das Árvores #1)

A Filha do Pastor das Árvores
Com a morte da mãe, Keelie Heartwood, uma jovem de apenas quinze anos, é forçada a deixar sua adorada Califórnia para viver com o pai nômade no Festival da Renascença de Montanha Alta, no Colorado. Lá, coisas estranhas começam a acontecer — estranhas, mas familiares. Keelie percebe que algumas pessoas do festival têm orelhas pontudas, incluindo o cavaleiro mais bonito do lugar, Lorde Sean do Bosque. Quando ela começa a ver seres estranhos e a se comunicar com árvores, descobre que existe um segredo a seu respeito e percebe que seu pai lhe deve explicações.

  Keelie Heartwood acaba de perder a mãe, e seu pior pesadelo nem é o fato de ir que viver com o pai, mas sim o fato de que ele é um cara meio esquisito, afinal trabalha num festival, chamado Festival da Renascença de Montanha Alta, isso mesmo uma feira da renascença!!!

  Quando Keelie é obrigada a ir morar com o pai deixa para trás toda a sua antiga vida, escola, amigas, e bem até sua bagagem resolve dar uma volta pelo mundo ao invés de ir parar naquele antro de malucos que vestem roupas medievais e tem orelhas pontudas. Sem ceder à beleza do lugar Keelie tem um plano de fuga, mas seus planos podem ser interrompidos à medida que a garota descobre mais sobre as pessoas do lugar, e sobre si mesma.

  Já pensou em morar/trabalhar numa feira renascentista? Eu não sei vocês, mas eu iria amar! Diferente de Keelie que detesta toda a aura medieval do lugar, eu li o livro sonhando com ele.

  Keelie é uma patricinha californiana e só de pensar em morar na feira e vestir aquelas roupas medievais ela tem vontade de surtar. A chegada dela no lugar não foi fácil, a partir do momento que pos os pés na feira, Keelie virou uma desastrada sempre caindo e se sujando, suas malas foram parar do outro lado do oceano graças a incompetência da companhia aérea e ela se vê obrigada a usar roupas ridículas e a aguentar o gato do pai, Knot fazendo xixi em suas roupas intímas. É a chegada de Keelie realmente não foi fácil.

  Eu amei o livro, é leve, divertido e trás uma dose certa de fantasia, achei que o melhor do livro foi exatamente isso, ele mistura um mundo ‘normal’ com algo cheio de mistérios, afinal algumas pessoas que trabalham na feira tem poderes especiais (elfos por exemplo) e quando a feira está fechada vivem como se fossem pessoas normais, vão à escola, universidade...

  Estou com dificuldades para escrever essa resenha, primeiro por que eu realmente AMEI o livro, e também por que a própria personagem principal é difícil de se descrever, Keelie é um garota super descolada e quando se vê obrigada a ir para a feira ela acaba ficando irritante (principalmente com relação ao pai) mas, com outras pessoas ela é super amável, na verdade eu gostei dela, e acho que ela só assume uma postura meio chata com o pai e algumas outras pessoas devido ao fato de ter perdido a mãe recentemente (uma mulher centrada que queria que Keelie seguisse seus passos como advogada e nunca encorajou o lado fantasioso da garota) e o medo de que se afeiçoasse ao pai, ou ao seu estilo de vida acabaria esquecendo a mãe.

  Enfim, eu recomendo muito o livro, principalmente se você estiver procurando uma leitura leve, com aventura e descobertas...

“- Keelie, você nunca perderá sua mãe – ressaltou Sir Davey. – Ela pode ter deixado esta existência, mas vive em você. Estará com você cada dia de sua vida. Quanto a acreditar em magia, fadas e gatos de botas e ver rostos em árvores, você precisa aceitar que essas coisas fazem parte do seu mundo, sendo aspectos dos quais não tinha conhecimento antes.” Página 222

Título Original: The Tree Sheperd’s Daughter
Autora: Gillian Summers
Editora: Bertrand Brasil







Virginiana. Bookaholic. Grifinoria. Narniana. Esmaltólotra. Chocólotra. Desastrada. Teimosa. Preguiçosa. Futura Arquivista. Sonhadora. Irônica da língua bem afiada. Em sua cabeça cria as mais inusitadas história e situações.  Twitter| Facebook| Skoob

1 comentários:

Juliana Kobayashi disse...

oi ^^
que livro diferente! parece mesmo ser divertido e leve como vc disse, achei interessante! :)
tem postagem nova no meu blog
espero a sua visita e seus comentários!
bjinhus

TÍTULOS DE LIVROS

 
Design geral de: Rachel Lima | C�digos de Giovana Joris
|